Variedades

Profissionais de Sucesso: Ornella Catenacci

Natural de Campinas, São Paulo, a dentista Ornella Catenacci escolheu Goiânia para fixar raizes e com pouco tempo na cidade, já tem se destacado e ganhado espaço pela sua seriedade e profissionalismo.

“A Organização Mundial da Saúde (OMS) define saúde não somente pela ausência de doenças ou enfermidades, mas como um estado de bem-estar físico, mental e social. A Odontologia moderna se esforça, assim como a medicina, para implantar uma terapia integrada, levando em conta essas três esferas ao mesmo tempo”, relata a ortodontista.

Em seu consultório no Setor Marista, ela nos  explica a importância em ter uma visão integrada dos problemas daquele que se senta na cadeira do consultório a fim de proporcionar um melhor tratamento. “Quando o dentista enxerga o paciente com olhos interdisciplinar, ele passa a entender aquele indivíduo e poder explicar os procedimentos que vai realizar”, enfatiza.

“Em um paciente com dor, aspectos biológicos, psicológicos e sociais interferem nesse desconforto. Um exemplo seria um paciente que chega ao consultório com cefaléias, dores no ouvido, fibromialgia, ansioso e estressado com a dor que não o deixa concluir com clareza as suas atividades. A apnéia também causa sintomas que podem comprometer uma noite de sono e a disposição física diurna, levando-o a apresentar outros sinais clínicos associados”, acrescenta.

Mais do que isso, na investigação clínica o profissional começa a descobrir fatores secundários e decisivos no tratamento. “Nos casos de disfunção de ATM, a instabilidade da oclusão somado a fatores  psicológicos sob stress,  podem levar esses pacientes a apertar ou ranger os dentes”.

O tratamento odontológico começa na anamnese. Ainda nos explica que o cirurgião-dentista precisa alimentar um relacionamento com o paciente, ouvindo-o não pra descobrir qual dente está incomodando, mas para saber o que o incomoda. “Quando o profissional realiza procedimentos de forma automática, muitas vezes o paciente não aprova o tratamento porque esperava algo diferente. Uma das grandes dificuldades é o paciente não encarar o atendimento como consulta, mas como uma passada rápida ao dentista para dar uma ‘olhada’ naquilo que ele acha que o incomoda”.

Com esse pensamento interdisciplinar, a cirurgiã-dentista conquista aqueles que passam pela sua cadeira e os profissionais que os encaminham. Relata também que já foi preciso encaminhar um indivíduo a um profissional de saúde mental, apesar do risco de não ser bem interpretada pelo paciente. “O mesmo não acontece quando encaminhamos alguém para um médico do sono, otorrinolaringologista, neurologista ou endocrinologista, por exemplo. Mas não me preocupo com isso, desde que ele entenda que o tratamento não se resume apenas pela boca”.

A Dra Ornella é Ortodontista, Estomatologista e Radiologista. Oferece atendimento a pacientes com Apnéia do Sono, problemas de oclusão, bruxismo, fibromialgia e dores orofacias.